Quarta, 17 de janeiro de 201817/1/2018
43 3037-1240
Nublado
20º
20º
27º
Londrina - PR
Erro ao processar!
Sorria Contra o Câncer
INFÂNCIA E JUVENTUDE
Projeto incentiva empoderamento de crianças e combate bullying em escola pública de Porto Alegre
Alunos e educadores da Escola Municipal de Ensino Fundamental Saint Hilaire, da Lomba do Pinheiro, contam o que mudou a partir do início da ação "Solte o cabelo, prenda o seu preconceito".
Marcio Demari Londrina - PR
Postada em 04/12/2017 ás 12h46
Projeto incentiva empoderamento de crianças e combate bullying em escola pública de Porto Alegre

Meninas da escola vestem camisetas do projeto (Foto: Reprodução/RBS TV)

Uma escola municipal de Porto Alegre criou um projeto chamado "Solte o cabelo, prenda o seu preconceito", que tem como objetivo estimular as crianças a se empoderarem, além de combater o bullying no ambiente escolar.


Para a pequena Natalie Rosa, de 9 anos, estudante da Escola Municipal de Ensino Fundamental Saint Hilaire, localizada no bairro Lomba do Pinheiro, o projeto possibilita que todos sintam orgulho de si mesmos.


A professora Larisse de Moraes, que foi a idealizadora do projeto, conta que tudo surgiu como uma demanda de sala de aula. Segundo ela, a turma tinha problemas de relacionamento e de postura, o que fez com que a escola buscasse uma alternativa diferente.


"Ao final desse projeto nós fizemos uma avaliação e os relatos diziam o que esse projeto significou para eles e na vida deles, e eu tive essa surpresa", lembra a educadora.


Uma das vítimas de bullying na escola era a Kherollen Shwnna Barbosa, de 10 anos, que relata que sofria com isso tanto dentro quanto fora da escola.


"Um dia eu contei pra sora e ela quis começar esse projeto, porque ela também sofreu bullying. Então a gente começou esse projeto e está fazendo a diferença na escola e na rua também", afirma.


A partir da iniciativa da escola, as crianças também foram estimuladas a não se importarem com a cor da pele ou o tipo de cabelo. Como destaca a estudante Jamilly Maciel, de 10 anos.


O diretor da escola, Ângelo Barbosa, ressalta que na Escola Municipal de Ensino Fundamental Saint Hilaire existe uma tradição de professores que incentivam os alunos a assumirem o protagonismo.


"Isso traz para nós muita alegria, de ver que os nossos alunos estão querendo se colocar no mundo, e eles conseguem frente a uma atitude de bullying, empoderados que estão, levar aquilo com tranquilidade de quem sabe que preconceito é besteira", comemora.


A mãe de uma das alunas da escola que faz parte do projeto também vibra com a iniciativa. Segundo ela, a filha e diversas amigas passaram a se orgulhar das origens, do cabelo crespo e da cor da pele.


"Antes ela não queria soltar os cabelos, por causa do black dela. Mas com o projeto ela solta os cabelos e tem vontade se arrumar, de mostrar o cabelo, mostrar a cor, se orgulha disso como eu, o pai dela, os irmãos", salienta.


Para a supervisora da escola, Amanda Dornelles, o projeto é motivo de orgulho para toda a comunidade da escola Saint Hilaire. "Ele traz todas essas questões de criticidade, de empoderamento das crianças dentro de uma comunidade dentro da escola pública", finaliza.

FONTE: G1
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
115