domingo, 24 de junho de 201824/6/2018
43 3037-1240
Ensolarado
13º
22º
26º
Brasilia - DF
Erro ao processar!
Sorria Contra o Câncer
COMBATE A POBREZA
Sudão do Sul precisa de 1,72 bilhão de dólares em ajuda humanitária
As Nações Unidas e a comunidade humanitária no Sudão do Sul lançaram um apelo por 1,72 bilhão de dólares para ajudar 6 milhões de pessoas afetadas pelo conflito, pelo deslocamento forçado e pela fome.
Marcio Demari Londrina - PR
Postada em 17/12/2017 ás 20h27
Sudão do Sul precisa de 1,72 bilhão de dólares em ajuda humanitária

Mulheres recolhem alimentos na cidade de Gabyel, no Sudão do Sul. Foto: Gemma Connell/OCHA

As Nações Unidas e a comunidade humanitária no Sudão do Sul lançaram um apelo por 1,72 bilhão de dólares para ajudar 6 milhões de pessoas afetadas pelo conflito, pelo deslocamento forçado e pela fome.


“Há uma crescente necessidade de assistência humanitária com os deslocados, a insegurança alimentar, a má nutrição, a violência e o declínio econômico, que afetam a saúde, a segurança e o sustento de pessoas”, afirmou Alain Noudéhou, coordenador humanitário do Sudão do Sul em comunicado do Escritório das Nações unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).


“Hoje, precisamos de 1,72 bilhão de dólares para continuar a fornecer assistência e proteção para seis milhões de pessoas necessitadas no Sudão do Sul”, afirmou, enfatizando que a ideia é focar na proteção de grupos vulneráveis, especialmente mulheres e crianças.


Desde o início do conflito, em dezembro de 2013, cerca de 4 milhões de pessoas foram forçadas a deixar suas casas, incluindo 1,9 milhão de pessoas deslocadas internamente e outros 2,1 milhões de pessoas em países vizinhos.


Como o conflito prossegue em várias partes do país, a fome e os índices de desnutrição estão aumentando e, sem ações imediatas, milhares de pessoas em diversas áreas correm o risco de passar fome.


De acordo com a Classificação Integrada de Segurança Alimentar do Sudão do Sul, a antecipação do período improdutivo deixará cerca de 5,1 milhões de pessoas – 48% da população – em estado de severa insegurança alimentar entre janeiro e março de 2018.


Além disso, pesquisas nutricionais apontam que aproximadamente metade das crianças do país com menos de cinco anos de idade tem desnutrição aguda.


Noudéhou agradeceu aos doadores, que contribuíram com mais de 70% dos recursos para 2017, e pediu que todos ajudem a aliviar o sofrimento da população.


“Com esforços coletivos e coordenados, seremos capazes de prover efetiva assistência aos mais necessitados. Crianças ficarão na escola. Muitos sobreviverão a doenças. A subsistência e a esperança serão restabelecidas. Há muita coisa em jogo”, afirmou.


Saiba mais sobre a crise no Sudão do Sul em www.unocha.org/south-sudan

FONTE: ONUBR
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
1.879

Publicidade

Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Facebook

Publicidade

TELETON 2017

Publicidade

Unicef Brasil
Mais lidas do mês

Publicidade

objetivos do desenvolvimento sustentável
Enquete
Voce já fez doação em dinheiro para alguma instituição, como?

Fez doação via Internet?
27 votos - 31.0%

Fez doação via telefone?
12 votos - 13.8%

Fez doação via carnê?
12 votos - 13.8%

Fez doação presencial?
12 votos - 13.8%

Fez doação comprando algum produto?
12 votos - 13.8%

Fez doação via postos de coleta?
12 votos - 13.8%